sexta-feira, 8 de agosto de 2014

Bifes Mal Passados - o livro de João Magueijo







Tive a oportunidade de ler o livro "Bifes Mal Passados" de João Magueijo, sobre o seu percurso no Reino Unido. Fiquei muito chocada - como é que João Magueijo conseguiu que este livro fosse publicado!

O João Magueijo descreve tudo o que há de pior do Reino Unido sem oferecer contexto, de forma ordinária e pouco interessante. Talvez fosse mais divertido se João Magueijo se colocasse no papel de vítima de português perdido no Reino Unido e fizesse um livro do género "as Lições do Tonecas", com a capacidade de se rir dele próprio. Mas não. O leitor não consegue simpatizar com João Magueijo, porque em terras de sua majestade se acha no direito de se comportar de forma bastante desadequada, colocando-se em situações que à partida sabe que não vão correr bem. Resulta disto uma "diarreia" de obscenidades sobre o Reino Unido misturada de saudosismos sobre tremoços e cerveja portuguesa. Esta "diarreia" é tão mal cheirosa que qualquer pessoa que leia o livro fica com uma indigestão britânica e a pensar que este país é constituído por uma cambada de atrasados mentais. Fico sem saber se o que João Magueijo descreve no livro realmente aconteceu, já que muitas situações descritas parecem altamente exageradas. Também acho estranho como é que uma pessoa que tem tantos anticorpos a um país aguentou tantos anos a viver no mesmo, conseguindo no meio de tanta horrorosidade (palavra inventada para a situação) desenvolver uma carreira tão relevante para a comunidade científica! Entendo quando alguém queira escrever algo engraçado, mas falhou e acabou por escrever um livro altamente ofensivo cheio de palavrões. E porque é que eu li o livro? Demasiada curiosidade? Talvez, o livro lê-se em poucos minutos já que muitas partes se podem passar à frente... 


O João Magueijo frequenta o pior dos locais onde se pode ir no Reino Unido por opção própria - ninguém o obrigou a lá ir! Mas pelo que diz parece que se divertiu bem pelo caminho, gabando-se das suas namoradas e dos seus episódios de andar a correr nu embriagado pela rua fora.

João Magueijo vive em Londres, tem uns dias livres - o que faz? Vai passar férias a Margate, dando origem a muitas páginas de maldizer! Isto é como quem vive em Cascais e vai passar férias a Chelas, não querendo eu dizer mal de Chelas que não tem culpa nenhuma mas apenas para dar um exemplo dum local não me apetece ir para relaxar. Margate é um local meio abandonado parado no tempo, que há muitos anos era considerado uma moderna estância balnear. Os próprios ingleses dizem mal daquilo.

O João Magueijo vai subir a montanha num dia de chuva e não gostou. O que é que ele quer? Eu própria vivo cá há muitos anos e não vou subir a montanha se estiver a chover! Aliás, subir montanhas é para pessoal desportivo que não se importa com intempéries e gosta de aventura! 

O João Magueijo vai a uma palestra aqui em Swansea e quando começa a falar dá um grande arroto. Ninguém se ri. O que é que ele estava à espera?

O João Magueijo veio a Swansea e deve ser a única pessoa que eu conheço que ficou preso na península de Rhossili por causa da maré - quando a maré fica cheia o local torna-se numa ilha. O que ele não explica é que é preciso querer para se ficar preso na ilha, já que existem imensos avisos, uma patrulha, uma sirene que toca uma hora antes da maré voltar a subir, etc. A única coisa que João Magueijo gosta de Swansea é do poeta Dylan Thomas, que coincidência das coincidências, também ficou preso na ilha de Rhossili! Será então tudo inventado?

É o livro dele e cada um tem direito a escrever o que bem quiser, só compra quem quer! Uma pessoa conhecida e com facilidade em publicar livros em Portugal devia ter alguma responsabilidade no que escreve... 

7 comentários:

Anónimo disse...

Bem visto, já para não comentar a imagem errada com que ficarão os britânicos em caso de leitura desta verborreia..

P & P

Paulo disse...

Já eu morei dois anos em Londres, e no geral acho que ele até foi meigo com os ingleses...

É tudo uma questão de pontos de vista.

Anónimo disse...

Parece que o homem cometeu algum crime...disse-lhe ou melhor escreveu o que lhe ia na alma. Pelo que li, julgo que foi meiguinho demais.

Anónimo disse...

Let's face it - the book is totally accurate in it's depiction of us Brits!

Anónimo disse...

"its"

Ana Ribeiro disse...

Ahahah, o que vocês não sabem é que este post foi encomendado, porque uma crítica negativa gera curiosidade e vende mais livros!

Anónimo disse...

Eu nasci em Londres, vivi em Penzance e agora vivo em Portugal.
Concordo que só olhou para o lado mau dos bifes, porque eles tambem tem coisas boas. Mas o lado mau é mesmo assim. Vá ao fechar do Pub às 23:00 ou a um serviço de urgencias ao fim de semana,.. é mesmo assim. A mania da sua superioridade e do Imperio é infinita; a estratificação social por sotaques nunca me tinha apercebido, mas é bem apanhada, etc etc. Tem muitos e excessivos palavrões face ao nosso puritanismo Portugues, tem, mas principalmente a "working class" em cada frase diz duas asneiras. Leiam e façam o vosso juizo. Eu adorei!